sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Estou cansada de vértebras quebradas. Quero a sublimação. Quero o prestígio. Me plastifiquem.

Fui moldada em fôrmas esféricas, me foi imposta uma perfeição além da compreensão humana. Minha respiração acontece através de poros non-específicos e tenho uma capacidade múltipla de orgasmos espalhados por toda a minha superfície. Sou uma máquina, de mecanismos falhos e aparentemente frágeis. Sou uma máquina desesperançosa por não possuir um coração bomba-relógio, por perder-me em meu próprio tempo. Sou uma máquina desgraçada em meio a um mundo de dilúvios e aberrações.

Hildegard.

5 comentários:

Anônimo disse...

és uma bela espécime de fêmea desnaturalizada.

Anônimo disse...

és uma bela espécime de fêmea desnaturalizada.

leonarda glück disse...

Desnaturalizada???

Sabrina disse...

Desnaturada! ^~

Marks disse...

Desnatada ;)